Grupo de Acólitos

Faz dawnload da carta AQUI

Caro Acólito

Venho falar-te da ASSEMBLEIA DIOCESANA DE ACÓLITOS, que irá realizar-se no próximo dia 5 de Outubro, no Santuário de Fátima e tendo neste ano dos 100 anos das aparições a particularidade de ser a PEREGRINAÇÃO JUBILAR DOS ACÓLITOS DA DIOCESE AO SANTUÁRIO DE FÁTIMA, o programa é o seguinte:

                09.00 – saída da Azoia (junto à Igreja)
                09.30h Concentração e Acolhimento no ALBERGUE DO PEREGRINO e distribuição de material
                10.30h Paramentação na Capela da Reconciliação (Piso inferior da Santíssima Trindade)
                11.00h Eucaristia na Basílica da Santíssima Trindade presidida pelo Bispo Diocesano
                12.30h Almoço partilhado no Albergue do Peregrino
                13.30h Partida de autocarro para a Igreja Paroquial de Fátima e início das atividades da tarde
                18.00h Consagração a Nossa Senhora na Capelinha das Aparições presidida pelo Senhor Reitor
                18.30h Lanche ajantarado
                19.30h Chegada prevista à Azoia

Algumas notas:
• Os acólitos devem trazer a sua alva e cíngulo;
• Atenção ao calçado deverá ser adaptado a caminhada;
• O almoço é partilhado, devendo à chegada ser entregue à equipa de acolhimento que o porá nas mesas;

Para qualquer esclarecimento poderás contactar:
            - Os responsáveis pelo Grupo de Acólitos:
                        Diogo Pereira | 967 601 575
                        Mariana Santos | 927 309 197
            - Pe. André Batista | 964 881 054

Pedimos que informes um dos responsáveis ou ao pároco se pretendes ou não participar na peregrinação, até ao dia 27 de setembro. A ficha de autorização pode ser entregue no próprio dia.
O Pároco
_____________________________________________
(Pe. André Antunes Batista)
%……………………………………………………………………………………………………………………………

AUTORIZAÇÃO
Eu, _________________________________________________________________, pai/mãe do Acólito ______________________________________________________, autorizo a sua participação no Encontro Diocesano de Acólitos, no Santuário de Fátima, no dia 5 de outubro de 2017.
Azoia, _______ de outubro de 2017

Assinatura: __________________________________________________




Escala dos acólitos >aqui<
O que é o acólito?


A palavra acólito vem do verbo acolitar, que significa acompanhar no caminho. Dado que se pode acompanhar alguém indo à frente, ao lado ou atrás de outras pessoas, acólito é aquele ou aquela que, na celebração da liturgia, precede, vai ao lado ou segue outras pessoas, para as servir e ajudar.

Quem é que o acólito acompanha e serve? Em primeiro lugar acompanha e serve o presidente da celebração da missa, que tanto pode ser o bispo como o presbítero; em segundo lugar acompanha e serve o diácono, o ministro extraordinário da comunhão, ou outras pessoas que precisam de ser ajudadas durante a celebração. Noutras celebrações, acompanha e serve as pessoas responsáveis por essas mesmas celebrações.

Quando é que o acólito começa a ajudar e a servir o presidente da missa? Quando o bispo ou o presbítero, na sacristia, tomam as suas vestes. Já então o acólito deve estar vestido e pronto, para poder ajudar. Depois, acompanha-os na procissão de entrada, indo à frente. Durante a missa, o acólito está sempre atento ao que o bispo ou o presbítero precisam, para lhes apresentar umas vezes o missal, outras vezes as coisas que eles hão-de colocar no altar, ou para os acompanhar quando vão distribuir a comunhão aos fiéis. Por fim, quando o presidente regressa à sacristia, o acólito vai à sua frente e ajuda-o a tirar as vestes e a guardá-las.

Só depois de tudo isso feito é que o acólito pensa em si próprio. No fim de ter ajudado o presidente da celebração, também ele tira a sua túnica e a guarda. Enquanto faz tudo isso, agradece a Jesus por ter estado a servi-lo na pessoa dos seus ministros, e pode lembrar-se daquela palavra do Senhor: Tudo aquilo que fizestes a um dos meus irmãos, mesmo aos mais pequenos, foi a mim que o fizestes.

Podemos então dizer que o acólito, desde o princípio até ao fim da missa, acompanha, ajuda e serve o próprio Jesus. Ele não o vê com os seus olhos; mas a fé ensina-o. Um verdadeiro acólito vai descobrindo isto cada vez mais. Se um acólito não o descobre, corre o risco de se cansar de ser acólito. Mas se o descobre e acredita nisso, então vai desejar sempre ser escolhido para acólito, em cada domingo.
http://acolitos.liturgia.pt/curso/curso04.php


Sem comentários:

Enviar um comentário